Série de dicas, dica nº 2 – como proceder diante de um cliente específico.

Série de dicas, dica nº 2 – como proceder diante de um cliente específico.
5 (100%) 4 votes

 

Na dica de hoje, eu vou explicar a você como proceder diante de um cliente específico. Existe um cliente em específico que da mesma maneira que ele chega, ele desaparece, sem dar avisos.

Certa vez estava eu descansando em uma madrugada quando o telefone tocou. Imagine alguém ligando pelas 3h da manhã, que tédio, o pior é que não era nada urgente, afinal ninguém estava morrendo. Um cidadão se apresenta no outro lado da linha dizendo que precisava investigar sua esposa, mas estranhamente ela estava em casa deitada na cama, ou seja, não havia motivos do cidadão ligar às 3h da manhã, quando ele poderia perfeitamente ligar às 7h da manhã.

Eu quis citar este pequeno exemplo para que você percebesse que há clientes específicos impulsivos. Para estes tipos de clientes é importante que você seja rápido a fechar o contrato de prestação de serviços ou irá perdê-los, pois agem por impulso.

Veja este segundo exemplo: Uma ligação do centro – no oeste do país. Recebo num final de tarde, vinda de uma mulher de muitos recursos financeiros. Havia ela conhecido uma pessoa na minha região, quando passara por aqui em suas férias e visita a parentes. O sujeito a humilhou, a fez de boba, disse que era solteiro, quando na verdade tinha esposa e filho adulto. Assustou-a dizendo que umas pessoas os ameaçaram, enfim uma história muito doida, deixando a mulher em pânico e em choque. O impulso desta foi tamanho que de cara me pediu que valor eu quisesse para destruir a família dele a qualquer custo, a qualquer preço. Naturalmente percebi o impulso que a movia e o ódio que deixava transparecer. Precisei dias para acalmá-la e sugeri que fizéssemos apenas uma investigação para saber os passos do casal e ver se havia algo de errado com eles.

Fui contratado, realizei os acompanhamentos e nada de errado foi encontrado, quando vimos a possibilidade de colocar um garoto de programa para fazer academia nos mesmos horários que a esposa fazia e por semanas procedemos desta maneira, mesmo com um rapaz dando em cima da esposa do sujeito, ela se manteve firme e não aceitou em sair com o garoto. Neste espaço de tempo, o ódio de minha cliente foi se dissipando e ela se tornou uma pessoa normal e amável, tanto que um tempo após fiz contato com ela, que, caso desejasse se vingar dele em informar a polícia onde estava um veículo que havia busca e apreensão em nome do sujeito, eu poderia informar a polícia e fazer o procedimento, nem isso ela quis fazer. Quando que inicialmente, desejava destruí-lo, apesar de poder fazer o procedimento, respeitei minha cliente, pois ela acabou me confessando que perdoara o sujeito.

Certos clientes impulsivos, nós Detetives Particulares trabalhamos segundo suas ordens, afinal se não fizermos nada de ilegal, está tudo certo e podemos obter bons lucros, no entanto se o trabalho nos levar a prejudicar de forma injusta outras pessoas, é bom que sejamos sensatos e prudentes, afinal nosso nome pode estar em jogo e não podemos cometer crimes de forma alguma.

Concluindo, se você quer ingressar nesta profissão, não se esqueça destes pontos cruciais em relação a quando este tipo de cliente lhe contrata:

  1. Quando você notar que o cliente é impulsivo, não perca muito tempo, vá direto ao ponto e tente fechar um contrato com ele o mais rápido possível;
  2. Muitos destes específicos clientes pensam que um Detetive Particular pode “extrapolar” as leis, e como citei acima, uma das clientes pediu que eu destruísse a família de um homem que ela pediu que eu o seguisse. Neste caso o que deve ser feito é acalmar o(a) cliente que pedir coisas deste tipo, e deixar claro para ele(a) que a sua profissão não consiste nisto;
  3. Sempre agir com sensatez  e prudência, nunca aceite fazer serviços ilegais;
  4. Ter a paciência com este específico cliente, eles agem por impulso, muitas vezes por causa da ansiedade e do nervosismo, e, por serem impulsivos, eles agem de forma inconveniente, como um deles que eu citei acima, que me ligou de madrugada, quando ele podia ter me ligado pela manhã;
  5. Um outro ponto forte deste específico cliente, é que a maioria deles não querem nem fechar o contrato para você começar os serviços. Eles são tão impulsivos, que muitas vezes, querem que você comece o serviço sem nenhum contrato assinado. A não ser que seja uma pessoa de muita confiança que você conheça, não é aconselhável você começar um serviço sem assinar um contrato junto com o seu cliente, porque no meio do trabalho, este cliente pode desistir e não querer mais o seu serviço, então comece os seus serviços depois que o seu cliente assinou o contrato (isto detalhamos com profundidade dentro do nosso Curso completo Detetive CIT).